Geral na Giannini Stratosonic 80’s

2 Fala galera, agora estou com um pouco mais de tempo e muito trabalho legal vindo por aí pra compartilhar com vocês, e esse aqui é mais um. Matando a saudade do mestre ao som do disco BB.King Live At Royal Albert Hall e me lembrando da última vez em que tocou aqui começamos mais uma postagem.

Como já perceberam sou um fã incondicional dos Instrumentos Giannini que foram fabricados aqui no Brasil, e sempre que me aparece um por aqui é tratado com todo carinho possível, não que os outros instrumentos não sejam, só que a “Gianoca” é especial pra mim.
A Giannini Tem 113 anos e foi fundada em 1900 pelo Luthier Italiano Tranquillo Giannini, e como qualquer empresa que exista a mais de 100 anos já passou por momentos bons e ruins ainda mais no Brasil, o que tornava as coisas mais difíceis. Mas a Giannini fazia mágica na época e produziu os principais instrumentos para os artistas da época e que hoje são grandes músicos que admiramos hoje em dia assim como, Erasmo, Roberto, Gal, Gil, Caetano, Celso Blues Boy que tinha uma da época que a Giannini fabricou umas guitarras para a Fender, linha chamada Southern Cross. Pra mim o maior guitarrista fiel a Giannini foi Lanny Gordin que fez estrago com a sua Giannini Supersonic e foi o principal guitarrista da era Tropicália, gravando e arranjando com quase todo mundo naquele tempo, como Gal, Gil, e o Caetano. Destaque para a participação no disco Fatal e o Gal Legal. Com aquele Fuzz lindo que foi feito especialmente para ele pelo César Dias Baptista,  irmão do Arnaldo e do Sérgio Baptista. Pra quem não conhece o César foi quem construiui a mítica REGVLVS RAPHAEL CCDBSem dúvidas uma das guitarras mais fodas desse mundo. Espero em breve poder escrever aqui sobre ela. (todas essas informações tirei a limpo com o próprio Lanny Gordin.)

1

A que me apareceu esses dias foi essa do amigo Vladmir Barbalho e que já estava bem surrada, sem dois carrinhos da ponte, sem os potenciômetros, sujeira para todos os lados, ovos de barata por dentro, escala suja, trastes acabados, ferragens oxidadas entre outras coisas.

DSCF8487

Primeira coisa a se fazer foi desmonta-la toda, peça por peça separar e limpar tudo !

7

Era tanta sujeira que eu nem sei como, mas é possível entrar sujeira em baixo de uma ponte fixa que está parafusada ali uns 40 anos mais ou menos ?

4                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                            O braço é o que se vê na foto. O que mais gosto nesses instrumentos vintage é a história que a guitarra conta com o tempo, começo a imaginar e viajo mesmo. Começo a pensar os lugares por onde a guitarra já passou, a pessoa que foi dona, e o quanto ela já rodou. Essa aí por exemplo foi uma guitarra bem tocada, e a pessoa que tocava era cascuda, os trastes estão muito sujos, oxidados e com crateras resultante do modo de tocar e cordas oxidadas, que por sinal são ótimas pra fazer isso, inclusive a escala foi junto. Use sempre codas novas.

5

Como havia dito, a Giannini teve safras boas e safras ruins, acredito que a guitarra nunca tinha sido aberta, mas estranhei quando vi a elétrica muito mal feita dela, o que talvez não é nenhuma surpresa, os potenciômetros e até mesmo o capacitor são diferentes de todas que já peguei, que geralmente eram os Sprague Orange Drop 0.047uf.

8

   Parte elétrica refeita com um esquema diferente do que estava e pots novos instalados, limpo bonito e saudável.

10

Os trastes foram todos retificados,alinhados e as marcas removidas. O correto nesse caso seria remover os trastes, fazer o abaulamento da escala no mesmo ou de raio diferente e só depois colocar os trastes. e fazer o devido acabamento caprichado que eu faço.
Escala limpa, hidratada, ação de cordas mais baixo possível sem trastejar.

9

Como não podia ser diferente me surpreendi com a guitarra, tem uma pegada padrão que lembra muito a Fender, E olha que já não é a primeira vez aqui que comparo uma Giannini com uma Fender por aqui, mas essa realmente me deixou bem animado e cheguei a perguntar ao dono se queria vendê-la.
Braço macio, pegada boa, se encaixa perfeitamente à mão, som suave e com bom sustain. Todas as peças foram limpada uma por uma, foi adicionado dois carrinhos originais de uma ponte que tinha aqui de uma guitarra igual. Também ganhou knobs novos, que até pensei em dar uma envelhecida para ficar igual ao escudo, pois estavam todos no plástico ainda. Regulada com 0.09 e polimento de leve no corpo pra ficar bonito !
Gostaram ? Comentem a vontade, comentários e dúvidas direto no email são sempre muito bem vindos.

Anúncios

16 respostas em “Geral na Giannini Stratosonic 80’s

  1. Amigo, tenho uma igualzinha, eu msm estou fazendo um trabalho parecido! Qual os captadores que ficaram nesta guita depois da restauração?! Abraço, perfeito este instrumento.

    • Bruno essa é de 80/90 a escala branca pode ser a GG08 que é de 80 ou Ae08 que é de 78/79 que tinham o “Big head” mas nem uma das duas tinha o corpo piscina, era o corte tradicional “padrão” Fender de hoje em dia, espaço somente para 3 singles. Teve edição com HSS, mas essa eu não sei se era “piscina”.

  2. Pingback: Geral Giannini Supersonic 1978 | Arte & Precisão

  3. Fabricio, bom dia. Muito top essa guitarra.
    Tenho uma Giannini Sonic mas não a encontro em nenhum lugar. Ela tem um braço de fender (uma guitarra pesada), feita no Brazil (com Z…rs) série GG 01 NB. Confesso que não encontro essa guitarra em lugar nenhum (devo estar procurando mal). Ja ofereceram uma boa grana nela, desconfiei do valor por ser uma Giannini (era um valor muito alto). Queria saber um pouco da história dessa guitarra e se possível lhe envio até fotos. Um abraço.

  4. Preciso muito de ajuda, estou com uma Giannini supostamente da década de 90. O sistema de captação está HSS. Mas não sei se é o original. Ela está sem decalque. Pela madeira da escala é uma GG08. o Capotraste é de latão. Posso enviar umas fotos? Obrigado.
    Márcio (Curitiba/Pr)

  5. Fala Fabrício, parabéns pela reforma, ficou demais! Eu tenho uma curiosidade, existiu no mercado a Stratosonic (com um S) e a StratoSSonic (com 2 S). Ambas Gianninis são muito parecidas, com detalhes diferentes em alguns acabamentos como na ponte e nas tarraxas, além de na StratoSSonic o tensor ser do lado oposto ao headstock. Mas quanto a autenticidade, gostaria de saber sobre esses dois tipos de guitarras. Você teria alguma informação a respeito? Obrigado, um abraço.

    • Bom dia Pedro, seja bem vindo e obrigado pelo contato.
      Falar sobre a Giannini em questão técnica e construção é um pouco complicado, já que na época não tinha um padrão de qualidade, por exemplo. Muita coisa era na sorte mesmo, como a questão das madeiras, algumas eram perfeitas outras já péssimas. Eu tive uma stratoSSonic 90 que reformei e coloquei pra vender, talvez eu ainda a poste aqui, faço até questão de te enviar por email caso postar. Ela era muito boa, braço fino padrão Fender (safra próxima das Southern Cross), hardware todo japonês, as tarraxas e ponte eram uma maravilha, as melhores peças que a Giannini usou. Só que o tensor era normal, com a ponta pelo Headstock.
      Se tiver alguma outra dúvida em específico, comente aqui que eu te respondo. Espero ter ajudado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s